Neste mês  fomos conferir uma trilha muito tradicional em Florianópolis, a Trilha da Lagoinha do Leste.

Nossa equipe reformulada contou com a paticipação do biólogo de Juliano Cesar vulgo Passarrinho e a cachorrinha Blanche que é do projeto Cão Guia da Escola Helen Keller de Balneário Camboriú onde a PAPASIRI participa como socializador voluntário.

Quando partimos de camboriú o tempo estava bem fechado, para nossa surpresa quando chegamos na praia do Matadeiro nossa opção dentre várias para chegar até a praia da Lagoinha do Leste. 

Famos logo surpreendidos por um lance de tainhas enorme, além dos pescadores as pessoas que estavam na praia podiam pegar peixes de graça, pessoas saiam com sacos e mais sacos cheios de tainhas. Nossa aventura estava começando bem, o tempo abriu, esse trajeto é um dos mais longos para chegar até a Lagoinha, porém menos ingrime do que outras opções, sem falar da beleza. Do começo da trilha até chegar a praia existem várias trilhas secundárias feitas por pescadores, aliás todo esse costão é uma ótima opção de pesca, principalmente por que não há acesso para automóveis, o que dificulta a exploração, e é o que dá mais charme ao local.

Infelizmente no final da tarde o vento sul ficou muito forte o que encurtou nossa estadia, para o futuro prometemos fazer a trilha por outra via, com direito a acampamento e pescaria na praia da Lagoinha.

Ficha Técnica

Como chegar: Chegando a Florianópolis pela BR 101 sentido Norte-Sul confira aqui no mapa:
Distância: 4 km (curto)
Duração: 2 a 4 horas (curto)
Desgaste físico: Leve/Médio (curto)
Dificuldade técnica: Mínima (ficar atento com as pedras falças e lisas)
Altitude mínima: Nível do mar
Altitude máxima: 400 m (morros e mirantes)
Mapa da Trilha: Google Maps
Equipamentos: A trilha é bem leve mesmoa assim é indicado uma mochila de 20/30lts, com água e agasalho ou roupa de tempo, alguns pontos da trilha são bem espostos, e nesta região costuma ventar muito, principalmente no inverno. Tome cuidado para não sair da trilha principal, as trilhas secundárias levam geralmente a pontos de pesca. No percurso existe apenas dois pontos de água potável durante períodos de secas. Calçados podem ser leves, as botas ajudam a proteger contra cobras e possiveis torções nas pedras. Vale apena, o lugar é muito lindo e limpo.

Para visualizar a galeria de fotos completa, clique aqui!